top of page

Junho Vermelho – A Importância da Doação de Sangue

Doar sangue é um ato voluntário, que pode ajudar a salvar muitas vidas. Todo o procedimento é seguro e simples, e não causa riscos à pessoa que está realizando a doação. Realizada em menos de uma hora, a doação de sangue pode salvar inúmeras vidas. A cada doação, uma pessoa doa no máximo, 450 ml de sangue, e essa quantidade pode ajudar a salvar a vida de até 4 pessoas.



Todos os materiais usados no procedimento são descartáveis, dessa maneira, o risco de contaminação ao doar sangue é nulo. E no mesmo dia, o nosso organismo repõe a quantidade de sangue que foi retirada na doação.


Doar sangue é fornecer um produto essencial para a sobrevivência de outro ser humano.

Várias são as situações em que uma pessoa necessita de sangue, entre as mais comuns estão: cirurgias de grande porte, transfusão para pacientes com doenças crônicas, após acidentes graves, etc. E para atender as necessidades dessas intercorrências, é essencial que haja sangue em estoque, o qual é conseguido exclusivamente por doação.


Você sabe quais são os requisitos básicos para poder fazer uma doação? Abaixo estão alguns:

- Apresentar documento original de identidade com foto, e ter idade entre 16 e 69 anos, sendo que pessoas menores de idade devem seguir acompanhadas de seus responsáveis;

- Estar em boas condições de saúde;

- Ter um peso mínimo de 50 quilos com desconto das roupas;

- Não estar em jejum e evitar alimentação gordurosa;

- Ter dormido pelo menos 6 horas antes da doação;

- Não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação;

- Não fumar pelo menos duas horas antes da doação.



Antes do sangue ser disponibilizado para um receptor, é realizada uma triagem do doador. A triagem é feita em três etapas que incluem registro, entrevista e também a realização de exames específicos.

Etapa 1- Registro do doador: O doador é cadastrado e é feita sua identificação com o registro de algumas informações básicas, tais como nome, sexo, idade, profissão e endereço. Nessa etapa, o candidato apresenta documento emitido por órgão oficial com fotografia.

Etapa 2- Triagem clínica: Nessa etapa, são analisados critérios, como peso, a temperatura, a pressão arterial, entre outros. Também é feita uma entrevista, que é completamente sigilosa e visa a identificar, por exemplo, situações em que o sangue do doador possa ter sido contaminado.

Etapa 3- Triagem sorológica: Nessa etapa, são feitos testes laboratoriais para verificar se o sangue está em condições de ser usado.


Mesmo que a doação seja um processo rápido e até simples, algumas precauções devem ser tomadas. Entre elas estão:

- Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas;

- Aumentar a ingestão de líquidos;

- Manter o curativo no local da punção por pelo menos de quatro horas;

- Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho.


Algumas pessoas possuem restrições que impedem a doação de sangue. Segundo o Ministério da Saúde, existem alguns impedimentos que são temporários e outros que impedem definitivamente a doação. A seguir seguem alguns desses impedimentos:

- Quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade;

- Mulheres grávidas ou que estejam amamentando;

- Pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas;

- Usuários de drogas;

- Aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos.

E também, existe um intervalo mínimo que deve ser respeitando entre cada doação. Sendo eles para:

- Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)

- Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)


A campanha Junho Vermelho é uma iniciativa do movimento Eu Dou Sangue, criado em 2015. O mês de junho foi escolhido por dois motivos: um deles é por conta do dia 14 desse mês, em que é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue. O movimento, além de homenagear os doadores de sangue, busca chamar a atenção de mais pessoas para a necessidade de também realizar esse gesto de generosidade.

A outra questão é de ordem mais prática: os meses mais frios, como junho, julho e agosto, registram uma baixa de doações nos hemocentros. O fato de este ser um período de férias escolares, em que mais famílias viajam, também contribui para a redução das bolsas de sangue.



“Nós sempre precisamos de doação de sangue e isso piorou sensivelmente durante a pandemia. Doar sangue é um ato simples, rápido e de cidadania, que não traz risco algum para quem realiza a doação. É um ato humanitário muito importante, principalmente na situação atual”, afirmou o médico e presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Dante Mario Langhi Jr.

Doe sangue! Doe vida!

bottom of page