top of page

Outubro Rosa – A importância do Auto Cuidado



O mês de outubro é voltado a importância dos cuidados femininos em relação a saúde e principalmente ao câncer de mama, doença responsável por 11,7% dos novos casos de câncer no mundo, afetando 2,26 milhões de pacientes. A postura atenta das mulheres em relação à saúde do seu corpo e das mamas é fundamental para a detecção do câncer em sua fase inicial.


O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 66.280 novos casos de mulheres com câncer de mama. A doença pode ser percebida em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio dos seguintes sinais e sintomas:

- Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;

- Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;

- Alterações no mamilo;

- Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;

- Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.



A prevenção do câncer de mama começa com o autoexame, que a própria mulher deve fazer mensalmente a partir dos 20 anos de idade. É importante que cada mulher observe suas mamas sempre que se sentir confortáveis para tal (seja no banho, quando está trocando de roupa, ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, através do toque, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias ou qualquer outra deformidade aparente.

Além do autoexame, é importante que mulheres acima de 50 anos realizem exames específicos como a mamografia de rastreamento, mesmo que não haja sinal ou sintoma aparente da doença. A mamografia é o único exame que permite descobrir o tumor em sua fase inicial, em que a probabilidade de cura chega a 95%.


Para entendermos melhor sobre o câncer de mama, conversamos com a Dra Isabella Maeji Tavelin, médica Ginecologista, Pós-graduanda em Ginecologia endócrina e Ginecologia da infância e adolescência. Segundo Isabella, o câncer de mama é o câncer ginecológico mais comum na população feminina e é causado pela multiplicação desordenada das células da mama, gerando células anormais que originam um tumor, o qual pode ser de crescimento rápido ou lento.

Questionada sobre como esse tipo de câncer se desenvolve, a ginecologista afirma: “O câncer de mama tem origem multifatorial, estando associado a fatores genéticos e hereditários. Porém não podemos esquecer que os hábitos de vida (consumo de álcool, não aderência às atividades físicas regulares, excesso de peso, etc), e a história pessoal da paciente (quantas vezes engravidou, idade da primeira menstruação, por quanto tempo amamentou, idade da menopausa) também influenciam no desenvolvimento da doença”.


Para esse tipo de câncer, os tratamentos variam bastante, pois, segundo a ginecologista, tudo depende do estadiamento do câncer de mama. “Existem diversas opções de tratamento, como quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia e cirurgia, sempre norteadas pelo estadiamento da doença, ou seja, pela localização e extensão do câncer de mama. Em alguns casos específicos em que o tumor é muito grande, pode-se indicar a terapia neoadjuvante, a qual consiste na administração pré-operatória do tratamento sistêmico, na tentativa de diminuir o volume do tumor e realizar uma cirurgia menos invasiva. Lembrando que cada caso deve ser individualizado e analisado por um especialista”, afirma Isabella.


Estar com os exames em dia é a parte mais importante no processo de conscientização do público feminino, lembrando sempre da importância do acompanhamento médico em todas as fases da vida. E é nesta parte da conscientização que o Outubro Rosa entra. Segundo o INCA, a campanha Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, e foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. A data é celebrada anualmente no mês de outubro, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.


Questionada sobre a importância da campanha, a médica afirma: “Acredito que ajudou muito a aumentar o número de mamografias e que influencia sim as pacientes a se cuidarem melhor, por isso ela é importantíssima, pois informação é tudo. A detecção precoce do câncer de mama melhora a morbidade e permite um tratamento mais precoce também”. Um dos grandes pontos da prevenção, segundo Isabella, é consultar-se com o ginecologista anualmente, para a realização dos exames de rotina e do exame físico. “Muitas vezes o ginecologista é o primeiro médico que a mulher procura para discutir alguma questão, então o mesmo tem a oportunidade de avaliar a paciente como um todo, não somente a parte ginecológica, podendo identificar alterações que necessitam de seguimento com outro especialista, como o cardiologista ou endocrinologista, por exemplo”, completa a médica.


A campanha Outubro Rosa está aqui para lembrar todas as mulheres do quão importante é o auto cuidado. Realizar autoexame, conhecer o próprio corpo e estar e dia com os exames e com as consultas ao ginecologista é um passo importantíssimo para a saúde.

Portanto, os cuidados devem começar desde cedo. As belezas interna e externa são muito importantes, e os cuidados nunca devem ser deixados de lado. Cuidar de si mesma é uma declaração de amor próprio.


Comments


bottom of page